Como é de conhecimento da categoria, em 2010, por meio de uma intensa pressão política coletiva sobre o poder legislativo, tendo como protagonistas profissionais, movimentos sociais, público usuário e sociedade em geral, as e os assistentes sociais brasileiros tiveram a carga horária de 30 horas semanais fixada por lei 12.317/2010. Desde então, os CRESS juntamente com os mesmos protagonistas incidem junto aos empregadores pela efetivação da "Lei das 30h".
 
O Conselho Regional de Serviço Social de Minas Gerais (CRESS 6ª Região) realizou, em maio de 2016, a segunda campanha “30 dias pelas 30 horas”, que consistiu em uma ampla mobilização estadual em defesa do exercício profissional de qualidade e pela garantia da jornada de 30 horas semanais, direito conquistado legal e democraticamente pela categoria de assistentes sociais. Em 2012, quando o CRESS-MG realizou a primeira edição da campanha pela efetivação das 30h, movimentou profissionais em todo o Estado, tendo como consequência diversas conquistas em instâncias públicas e privadas empregadoras de assistentes sociais.
 
Em observância ao que nos ensina a poeta Cora Coralina “O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher”, sabemos que é necessário avançar ainda mais. Nesse sentido, a segunda campanha é uma estratégia frente à resistência de alguns municípios e demais instituições no cumprimento da legislação. Em 2016 pretendemos, realizar um conjunto de ações estratégicas para universalizar a implementação da Lei de 30 horas para assistentes sociais em Minas Gerais, mas principalmente lutar por trabalho com direitos.
 
Para instrumentalizar esta iniciativa, as e os assistentes sociais poderão encontrar no portal do CRESS-MG, informações importantes sobre as ações que serão realizadas pela implementação da carga horária de 30 horas.
 
Sabemos que os desafios do mundo do trabalho estão para além da nossa profissão, assim sendo, somente as lutas coletivas em defesa da classe trabalhadora podem provocar mudanças nas condições de vida e de trabalho na perspectiva da emancipação humana.
 
A luta por trabalho com direitos tem sido um dos principais desafios assumidos pelo Conjunto CFESS-CRESS, e mesmo em contexto de crise do capital, a força das lutas coletivas assegurou algumas importantes conquistas às e aos profissionais brasileiros nos últimos anos.
 
A defesa de condições éticas e técnicas de trabalho para as e os assistentes sociais se soma às lutas sociais e ao fortalecimento dos movimentos sociais da classe trabalhadora.
 
Seguimos na Luta!