Troca com outras áreas enriquece Seminário Estadual de Serviço Social e Direitos Humanos

Publicado em 09/07/2019

A imagem pode conter: 3 pessoas, área interna

Com o intuito de  promover debate e reflexão sobre as diferentes expressões do racismo no Brasil, além de estratégias para seu enfrentamento nos diferentes campos de atuação profissional, o CRESS-MG promoveu, em Belo Horizonte, no dia 27 de junho, por meio da sua Comissão de Direitos Humanos, o Seminário Estadual Serviço Social e Direitos Humanos.

A atividade teve como tema “Direitos humanos e questão étnico-racial: desafios e possibilidades na formação e no exercício profissional da e do assistente social” e antecedeu o Seminário Nacional, promovido pelo CFESS e pelo CRESS-BA, que acontece em Salvador (BA), nos dias 08 e 09 de agosto de 2019. Representando o Conselho Federal, a conselheira Solange Moreira reforçou a importância desse momento. 

“Este evento, em Minas Gerais, foi fundamental para renovar as nossas esperanças, e fortalecer o nosso compromisso com a defesa dos direitos da população negra. A questão racial é tema de campanha da atual gestão 2017-2020 e, em função disso, tem sido abordada como nunca dentro do Conjunto CFESS-CRESS”, apontou Solange.

Trocas enriquecedoras

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

As atividades tiveram a participação de pessoas de outras áreas do conhecimento, como a cultura e a filosofia, o que enriqueceu ainda mais os debates para as e os assistentes sociais presentes. Reconhecida na cena do hip hop em BH, a cantora Sarah Guedes abrilhantou a abertura do Seminário com uma apresentação musical, e também deu suas contribuições na mesa principal e na oficina sobre “Direitos Humanos e promoção da igualdade étnico-racial”.

“É importante ter um lugar de fala e me sinto lisonjeada por ter tido a oportunidade de contribuir para os debates de hoje. Quando uma mulher negra fala, ela está representando uma massa de outras mulheres que a todo o tempo estão sendo silenciadas e invisibilizadas. É preciso falar cada vez mais sobre a nossa comunidade negra, especialmente no Serviço Social, que trabalha com a garantia dos direitos da população”, ponderou a artista.  

Filósofo e mestre em Educação, João Carlos Pio de Souza, militante da luta sobre a questão racial da Pastoral Negra acredita que o Seminário abordou bem a necessidade de enfrentar o racismo a partir das políticas públicas. “A maioria do público da Assistência Social é negra, que se encontra em diversas situações de vulnerabilidade. É preciso entender como o racismo, especialmente o racismo institucional, impacta a nossa sociedade e a vida das pessoas negras”.

Para ele, que foi um dos facilitadores da oficina “Participação social e protagonismo para a promoção das políticas públicas étnico-raciais”, é preciso que “a categoria profissional conheça a realidade do território em que está trabalhando e isso significa entender que o racismo, assim como machismo e a LGBTfobia impacta na vida das pessoas. Esta é uma das formas de se obter uma melhoria no atendimento da política pública”.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas

Já o assistente social integrante da Comissão de Direitos Humanos do CRESS-MG,  Elton Brígida, disse que no atual cenário social e político do país, as e os assistentes sociais necessitam de um resgate da memória, de relembrar os processos sócio-históricos que forjaram o Serviço Social para se alinharem novamente ao que realmente é defendido pela profissão.

“Os debates de direitos humanos são cruciais no contexto político que temos vivido. A reforma da previdência, por exemplo, incidirá principalmente sobre a população pobre e negra. Nesse cenário de barbarização da vida social, é fundamental que possamos nos reunir para repensar nossa atuação profissional, assim como princípios e valores”, avaliou o profissional.

Elton aproveitou o momento para convidar as e os colegas de profissão para comporem a Comissão de Direitos Humanos do CRESS-MG. “Este é um importante espaço de debate e que precisa ser ocupado pela base da categoria. O conceito de direitos humanos, defendido pelo nossa profissão, é fundamental para o fortalecimento da categoria e da própria práxis profissional, especialmente nesse momento de grandes retrocessos”, afirma.

As reuniões da Comissão acontecem mensalmente, às quintas-feiras, às 19h, na Sede do CRESS-MG, no Centro de Belo Horizonte. Os próximos encontros serão nos dias 22/08, 19/09, 24/10 e 21/11 e são sempre publicados em nosso Facebook. Para mais informações sobre a participação, envie um e-mail a ass.comissoes@cress-mg.org.br.

Conheça mais sobre o CRESS-MG

Informações adicionais
Informações adicionais
Informações adicionais

SEDE: (31) 3226-2083 | cress@cress-mg.org.br

Rua Tupis, 485 - sala 502. Centro. Belo Horizonte - MG. CEP 30190-060

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL JUIZ DE FORA: (32) 3217-9186 | seccionaljuizdefora@cress-mg.org.br

Av. Barão do Rio Branco, 2595 - sala 1103/1104. Juiz de Fora - MG. CEP 36010-907

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL MONTES CLAROS: (38) 3221-9358 | seccionalmontesclaros@cress-mg.org.br

Av. Coronel Prates, 376 - sala 301. Centro. Montes Claros - MG. CEP 39400-104

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL UBERLÂNDIA: (34) 3236-3024 | seccionaluberlandia@cress-mg.org.br

Av. Afonso Pena, 547 - sala 101. Uberlândia - MG. CEP 38400-128

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h