Manifesto em defesa da Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária Popular na UFTM

Publicado em 04/05/2018

Nós, professores, estudantes, dirigentes de instituições acadêmicas, movimentos sociais e entidades de categoria profissional, vimos a público manifestar nossa perplexidade e o mais veemente protesto contra a denúncia anônima protocolada no Ministério Público Federal de Uberaba-MG referente à realização da Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária Popular na UFTM no ano de 2017, em sua 3.ª edição.

A Jornada na UFTM é historicamente construída por um coletivo de pessoas pertencentes a grupos de estudos, núcleos e laboratórios de pesquisa, entidades discentes e movimentos sociais que possuem compromisso político, ético e pedagógico com a construção diária da Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade. Também com a indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão, função social da instituição de ensino na interação e diálogo com a comunidade externa, em destaque com os movimentos sociais que travam diariamente a luta social no campo em prol da Reforma Agrária. Dessa forma, a jornada é um espaço de análise crítica da realidade, de valorização da diversidade social e cultural, do questionamento da ciência, de suas questões, seus impactos e contribuições reais para a melhoria das condições de vida da classe trabalhadora.

A Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária acontece desde 2014 em várias universidades do país comprometidas com a construção e democratização do conhecimento sobre a temática da questão agrária, reforma agrária, educação do campo, produção agroecológica e sustentável. Um evento cujo debate é contra a criminalização dos movimentos sociais que lutam pela terra no Brasil, assim como em defesa do fim da violência no campo. Neste ano, a exemplo, o evento rememorou e questionou em todo o país os assassinatos dos 21 trabalhadores Sem Terra no conflito de terras em Eldorado dos Carajás ocorrido em 1996. 

A denúncia representa a criminalização de um evento legítimo social e academicamente por seus propósitos, conteúdos e abordagens. A denúncia fere o cerne da própria Universidade em relação ao estimulo ao debate entre os diferentes e contrários. Assim, a denúncia passa a ser um instrumento político que busca o silenciamento, o cerceamento da diversidade em um momento em que mais do que nunca se destaca a necessária relação entre a Universidade e a Sociedade, para a produção de conhecimento crítico visando à transformação social.

Diante da conjuntura atual de intensos ataques à Universidade Pública, à democracia, à pluralidade de ideias e de perspectivas político-pedagógicas, nos posicionamos de forma a repudiarmos tal denúncia que, de forma difamadora e caluniosa, ataca a FUNÇÃO SOCIAL da III Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária e IV Colóquio da Questão Agrária na UFTM mas, acima de tudo, ataca o lugar dos diferentes sujeitos sociais no espaço da Universidade Pública.

Manifestamos, assim, todo nosso APOIO à realização da Jornada na UFTM.

PELA REALIZAÇÃO DA JORNADA UNIVERSITÁRIA EM DEFESA DA REFORMA AGRÁRIA NA UFTM!!!

ASSINAM ESTE DOCUMENTO:

COLEGIADO DO IELACHS (UFTM-MG) – 14/12/2017

CONSELHO DE ENSINO (UFTM-MG) – 09/01/2018

CONSELHO DE EXTENSÃO (UFTM-MG) – 10/04/2018

CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL DE MINAS GERAIS – 27/04/2018

CENTRO ACADÊMICO DE SERVIÇO SOCIAL – (UFTM-MG) 12/04/2018

MOVIMENTO CLASSISTA FEMINISTA ANA MONTENEGRO (CFCAM/UBERABA) – 09/01/2018

PROGRAMA DE EXTENSÃO TEMAS RACIAIS – (UFTM-MG) 12/04/2018

PROJETO DE EXTENSÃO PAU PEDRA. (UFTM-MG) – 12/04/2018

GRUPO DE PESQUISA INTERSDICIPLINAR SOBRE O COMBATE AS OPRESSÕES – PICO (UFTM-MG) 12/04/2018

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM FUNDAMENTOS, FORMAÇÃO E EXERCÍCIO PROFISSIONAL EM SERVIÇO SOCIAL – (GEFEPSSUFTM-MG) 12/04/2018

GEOLUTAS (UNIOESTE-PR) – 12/04/2018

OBSERVATÓRIO DA QUESTÃO AGRÁRIA NO PARANÁ (UNIOESTE-PR) 12/04/2018

LABERUR (UFS-SE) – 12/04/2018

LABORATÓRIO DE GEOGRAFIA AGRÁRIA (LAGEA-UFU-MG) – 12/04/2018

NÚCLEO DE ESTUDOS E PROJETOS EM REFORMA AGRÁRIA (NERA -UNESP-SP) – 12/04/2018

NÚCLEO AGRÁRIA TERRA E RAÍZ (NATRA – UNESP/FRANCA) 12/04/2018

GECA (UFMT-MT) – 12/04/2017

GRUPO DE ESTUDOS DE HISTÓRIA SOCIAL DO CAMPO (UNIFESP-SP) 13/04/2018

NÚCLEO DE PESQUISA NA HISTÓRIA, MEMÓRIA E PATRIMÔNIO DO TRABALHO (UNIFESP-SP) 13/04/2018

GETEC (UFPB-PB) 13/04/2018

NÚCLEO DE ESTUDOS TERRITORIAIS E AGRÁRIOS (NATERRA) (UFTM-MG) – 13/04/2018

AGB-SEÇÃO NACIONAL – 13/04/2018

GRUPO DE ESTUDOS DA HISTÓRIA SOCIAL DO CAMPO (UNIFESP) – 13/04/2018

NÚCLEO DE PESQUISA NA HISTÓRIA, MEMÓRIA E PATRIMÔNIO DO TRABALHO (CNPQ) UNIFESP – 13/04/2018

QEDAR –UFRJ

Conheça mais sobre o CRESS-MG

Informações adicionais
Informações adicionais
Informações adicionais

SEDE: (31) 3226-2083 | cress@cress-mg.org.br

Rua Guajajaras, 410 - 11º andar. Centro. Belo Horizonte - MG. CEP 30180-912

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL JUIZ DE FORA: (32) 3217-9186 | seccionaljuizdefora@cress-mg.org.br

Av. Barão do Rio Branco, 2595 - sala 1103/1104. Juiz de Fora - MG. CEP 36010-907

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL MONTES CLAROS: (38) 3221-9358 | seccionalmontesclaros@cress-mg.org.br

Av. Coronel Prates, 376 - sala 301. Centro. Montes Claros - MG. CEP 39400-104

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL UBERLÂNDIA: (34) 3236-3024 | seccionaluberlandia@cress-mg.org.br

Av. Afonso Pena, 547 - sala 101. Uberlândia - MG. CEP 38400-128

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h