CRESS-MG seleciona cinco filmes sobre mulheres poderosas

Publicado em 08/03/2017

O cinema também é um espaço que influencia e é influenciado pelos conflitos sociais. No caso do machismo não é diferente. Nos anos 1980 foi criado um teste simples para comprovar a baixa ou nenhuma participação relevante das mulheres nos filmes. O Bechdel Test se resume a três perguntas: 

1) Um filme deve ter duas ou mais mulheres nele, mulheres essas que têm que ter nomes.

2) Essas mulheres têm que conversar uma com a outra.

3) E conversar coisas que não sejam homens ou seu interesse romântico.

O que mais chama a atenção é que a maioria dos filmes comerciais não passam nesse teste. Tente você. Muitos filmes até ditos para ‘mulherzinha’ não passam de longas onde as mulheres desempenham um papel girando em torno da órbita masculina.

Isso porque a maioria dos filmes que assistimos é sobre homens. São homens fazendo coisas, homens vivendo aventuras, homens salvando o mundo, homens conversando com homens, homens vivendo grandes amores, ou, no máximo, com mulheres falando sobre homens.

Isto não quer dizer que muitos filmes perdem seu encanto por causa disso. Não é a qualidade dos filmes que está em jogo. Estamos apresentando um padrão único de histórias que vem se repetindo há décadas. E esse padrão exclui um gênero inteiro, ao representar mulheres de forma tão secundária, ou, na maior parte das vezes, nula. 

Para contrapor essa lógica machista, no Dia Internacional das Mulheres, o CRESS-MG selecionou alguns longa-metragens que retrata história de mulheres fortes e que são protagonistas de suas vidas. Confira!

A excêntrica família de Antônia

Após enterrar sua mãe, Antônia resolve se mudar com a filha para sua cidade natal. No vilarejo, cria laços de solidariedade entre as mulheres locais, mostra a importância da independência feminina e estabelece uma espécie de matriarcado onde tudo flui com o apoio dos homens da região. Mães solteiras, relações lésbicas e a indecisão sobre se casar ou não são alguns dos temas tratados com muita naturalidade nesse longa.

O sonho de Wadjda

Wadjda tem dez anos de idade, e mora no subúrbio de Riade, a capital da Arábia Saudita. Ela é uma garota teimosa e cheia de vida, que gosta de brincar com os garotos. Um dia, após uma disputa com o amigo Abdullah, ela vê uma bela bicicleta verde à venda. Wadjda gostaria de comprar a bicicleta, para superar o colega em uma corrida, mas na sociedade conservadora onde vivem, garotas não podem dirigir carros ou bicicletas. Ela decide então fazer de tudo para conseguir o dinheiro sozinha.

Thelma & Louise

Louise é uma mulher forte e decidida. Trabalha como garçonete, mora sozinha, fuma, e é dona daquele mais famoso símbolo fálico: um carrão. Thelma é uma dona de casa completamente subserviente ao marido. De tanto medo dele, foge de casa sem avisar que vai viajar com a amiga no fim de semana. No caminho, Thelma sofre uma tentativa de estupro, mas, para salvar a amiga, quem acaba se tornando criminosa é Louise. O filme não pretende uma discussão política sobre o patriarcado, mas acaba se tornando um momento de reflexão sobre o que esse sistema causa às mulheres.

Flor do deserto

Baseado em fatos reais, Waris Dirie nasceu em uma família de nômades, na Somália. Aos 13 anos, após sofrer mutilação genital, resolve fugir de um casamento arranjado, atravessando o deserto até chegar à capital do país. Nisso, parentes a enviam para Londres, onde trabalhou como empregada na embaixada da Somália. Ela passa toda a adolescência sem ser alfabetizada. Quando vê a chance de retornar ao país, ela descobre que é ilegal na Somália e não tem mais para onde ir. É então que ela é descoberta por um fotógrafo famoso e vê sua vida mudar consideravelmente.

Cairo 678

Fayza, Seba, Nelly são mulheres de diferentes idades e classes sociais e que são abusadas diariamente. Então, elas resolvem por um basta na situação. Por causa da notoriedade de seus atos, elas acabam se conhecendo e quase que clandestinamente, se unem para lutar contra o assédio sexual no Egito, país marcado pelo machismo e conservadorismo.

Conheça mais sobre o CRESS-MG

Informações adicionais
Informações adicionais
Informações adicionais

SEDE: (31) 3226-2083 | cress@cress-mg.org.br

Rua Guajajaras, 410 - 11º andar. Centro. Belo Horizonte - MG. CEP 30180-912

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL JUIZ DE FORA: (32) 3217-9186 | seccionaljuizdefora@cress-mg.org.br

Av. Barão do Rio Branco, 2595 - sala 1103/1104. Juiz de Fora - MG. CEP 36010-907

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL MONTES CLAROS: (38) 3221-9358 | seccionalmontesclaros@cress-mg.org.br

Av. Coronel Prates, 376 - sala 301. Centro. Montes Claros - MG. CEP 39400-104

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL UBERLÂNDIA: (34) 3236-3024 | seccionaluberlandia@cress-mg.org.br

Av. Afonso Pena, 547 - sala 101. Uberlândia - MG. CEP 38400-128

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h