Atividades em BH marcarão repúdio ao golpe de 64 e seus desdobramentos hoje

Publicado em 23/04/2015

A Frente Independente pela Memória, Verdade e Justiça de Minas Gerais (FIMVJ), da qual o CRESS-MG faz parte, promove no sábado, dia 25 de abril, em BH, uma série de atividades para abordar e propor uma reflexão crítica sobre os desdobramentos dos 21 anos de ditadura militar no Brasil.

A programação inclui painéis com convidados que vivenciaram o regime militar ou que sofrem ainda hoje os resquícios desse sombrio período da história brasileira, tais como perseguidos políticos e representantes de coletivos de jovens de BH e do Rio de Janeiro.

Haverá ainda apresentação cultural de voz e violão e caldo de feijão e torta vegana.

As atividades acontecem no Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania (IHG), Rua Hermilo Alves, 290 – Santa Tereza – BH.

Confira a programação completa deste evento no Facebook.

Conheça o blog da Frente!

Autonomia e atualidade da Frente

A FIMVJ tem um caráter independente em relação ao Estado, seu aparato repressivo e a todos os governos, assim como à Comissão Nacional de Verdade lançada pelo governo Dilma.

Por sua vez, a CNV tem seus fundamentos na Lei da Anistia de 1979, que mantém na impunidade todos os civis e militares envolvidos com a ditadura. A Frente Independente repudia os pactos do governo federal com os militares, que ajudam a permitir que até hoje continue a impunidade em relação aos crimes cometidos pelo Estado e pelo aparato repressivo contra a população.

Ainda nos dias atuais existe para a maioria da população, a forte presença de um estado de exceção. Para citar um caso mais recente e emblemático, Heloísa Greco, coordenadora do Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania, em recente reunião da Frente, comenta sobre a aprovação do Projeto de Lei que prevê a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos de idade.

“A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal junto ao reacionário Congresso querem consolidar a criminalização da infância e da juventude no país com a aprovação desta PL. Este é o país do encarceramento em massa, componente da guerra generalizada contra os pobres. São os moradores da periferia, principalmente os negros, as principais vítimas da violência policial e das chacinas periódicas”, pontuou.

Em 2014, no Dia da Consciência Negra, Heloísa concedeu uma entrevista ao CRESS-MG em que abordara como os resquícios da ditadura são cotidianos na vida do jovem negro e pobre. Releia aqui o conteúdo.

Intervenção militar, nunca mais!

O sombrio período marcado pela repressão completou 50 anos em 2014 e recentemente voltou à cena de maneira inusitada. Nos últimos protestos do dia 15 de março e 12 de abril de 2015, milhares de brasileiros saíram às ruas pedindo o fim da corrupção, o impeachment da presidenta da república e, de forma impensada, uma nova intervenção militar no país.

O evento do dia 25 de abril é uma oportunidade para entender de que forma a ditadura militar marcou negativamente a história do Brasil.

Veja aqui a análise do CFESS sobre o atual cenário de protestos no país.

Conheça mais sobre o CRESS-MG

Informações adicionais
Informações adicionais
Informações adicionais

SEDE: (31) 3226-2083 | cress@cress-mg.org.br

Rua Guajajaras, 410 - 11º andar. Centro. Belo Horizonte - MG. CEP 30180-912

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL JUIZ DE FORA: (32) 3217-9186 | seccionaljuizdefora@cress-mg.org.br

Av. Barão do Rio Branco, 2595 - sala 1103/1104. Juiz de Fora - MG. CEP 36010-907

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL MONTES CLAROS: (38) 3221-9358 | seccionalmontesclaros@cress-mg.org.br

Av. Coronel Prates, 376 - sala 301. Centro. Montes Claros - MG. CEP 39400-104

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL UBERLÂNDIA: (34) 3236-3024 | seccionaluberlandia@cress-mg.org.br

Av. Afonso Pena, 547 - sala 101. Uberlândia - MG. CEP 38400-128

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h