Mostra sobre Anne Frank chega a BH

Publicado em 09/04/2014

Belo Horizonte recebe, de 3 de abril a 31 de maio, no hall da Escola de Ensino Superior Dom Hélder Câmara, a exposição Paz e Justiça, Brasil e Holanda – Refletindo sobre o passado, construindo um futuro melhor.

A mostra reúne 20 painéis com reproduções fotográficas, organizadas em três partes: fatos históricos da II Guerra Mundial, do holocausto na Europa e da história de Anne Frank; a história de Mauricio de Nassau; e a cidade de Haia, conhecida como a Cidade Internacional da Paz e da Justiça.

A exposição evidencia – sob uma perspectiva cronológica paralela entre a vida de Anne Frank, a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto – a necessidade de se refletir sobre vários temas atuais de direitos humanos, inclusive, sobre as questões de exclusão social e de discriminação em razão da nacionalidade, crença religiosa, cor, opinião, opção sexual e violações que ocorrem diariamente em diversos países do mundo.

A Exposição

A primeira parte da exposição aborda a história de João Maurício de Nassau e a influência que exerceu no Brasil no século 17. Os painéis retratam os laços históricos entre Brasil e Holanda. Nassau é conhecido pelo perfil desenvolvimentista, que incluiu cientistas e artistas nas expedições que chefiava. Governador das possessões holandesas no Brasil entre 1637 a 1644 foi responsável, em Recife, pela construção de drenos, canais, pontes, museus, observatório astronômico e palácios.

Na segunda parte da exposição são trazidos fatos históricos da II Guerra Mundial, do holocausto na Europa e da história de Anne Frank, explicitando exemplos de injustiça humana, racismo, preconceito, discriminação, ausência total dos direitos humanos e as consequências desses atos na vida do homem.

Nesta fase, a vida de Anne Frank (que ficou escondida com a família em um porão e morta – após descoberta neste porão – em um campo de concentração) é resgatada. Otto Frank, patriarca e único sobrevivente da família, publicou o livro Diário de Anne Frank, em que a filha relatou as condições de vida durante a reclusão.

Já na terceira parte estão expostos os painéis relacionados à Cidade de Haia, conhecida como a Cidade Internacional da Paz e da Justiça. Nesta fase, o trabalho pretende retratar a importância que Haia representa na luta pela impunidade.

Em Haia foram estabelecidos os primeiros tratados formais internacionais sobre leis e crimes de guerra, além de abrigar instituições internacionais de justiça como o Tribunal Permanente de Arbitragem, Corte Permanente Internacional de Justiça (CPIJ), Corte Internacional de Justiça (CIJ), Tribunal Penal Internacional para a extinta Iugoslávia (TPII) e o Tribunal Penal Internacional (TPI), que objetivam a preservação dos direitos humanitários, respeito aos acordos internacionais e a luta contra a impunidade de forma a impedir que atrocidades do passado sejam repetidas.

Endereço: Rua Rodrigues Caldas, 30 – Bairro Santo Agostinho.

Conheça mais sobre o CRESS-MG

Informações adicionais
Informações adicionais
Informações adicionais

SEDE: (31) 3226-2083 | cress@cress-mg.org.br

Rua Guajajaras, 410 - 11º andar. Centro. Belo Horizonte - MG. CEP 30180-912

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL JUIZ DE FORA: (32) 3217-9186 | seccionaljuizdefora@cress-mg.org.br

Av. Barão do Rio Branco, 2595 - sala 1103/1104. Juiz de Fora - MG. CEP 36010-907

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL MONTES CLAROS: (38) 3221-9358 | seccionalmontesclaros@cress-mg.org.br

Av. Coronel Prates, 376 - sala 301. Centro. Montes Claros - MG. CEP 39400-104

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL UBERLÂNDIA: (34) 3236-3024 | seccionaluberlandia@cress-mg.org.br

Av. Afonso Pena, 547 - sala 101. Uberlândia - MG. CEP 38400-128

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h