Fim da violência contra a mulher é o que pedem atos em BH e Montes Claros

Publicado em 23/11/2016

Belo Horizonte e Montes Claros se unem a um movimento internacional pelo fim da violência contra a mulher que acontece nesta sexta-feira, 25 de novembro. No Brasil, uma mulher é assassinada a cada uma hora e meia. Além da violência física que pode chegar à morte, as mulheres estão sujeitas à violência de diversas naturezas, como a psicológica e simbólica, tão graves quanto. No contexto de uma sociedade patriarcal, nenhum lugar parece seguro: nem a rua, nem a casa, nem o trabalho. É preciso alertar à sociedade de que as mulheres estão morrendo, dia a dia, pouco a pouco, vítimas dessas pequenas e grandes agressões.

Confira nas imagens para saber mais sobre cada evento e, a seguir, conheça a origem da data:

Las Mariposas

A data foi oficializada como o Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher, no Primeiro Encontro Feminista da América Latina e Caribe realizado na cidade de Bogotá em 1981, como justa homenagem a “Las Mariposas”, codinome utilizado em atividades clandestinas pelas irmãs Mirabal, heroínas da República Dominicana brutalmente assassinadas em 25 de novembro de 1960.

Minerva, Pátria e Maria Tereza ousaram se opor à ditadura de Rafael Leônidas Trujillo, uma das mais violentas da América Latina. Por tal atitude, foram perseguidas e presas juntamente com seus maridos. Como plano para assassiná-las, uma vez que provocaram grande comoção popular enquanto estavam presas, o ditador acabou por libertá-las, para em seguida simular um acidente automobilístico matando-as quando iam visitar seus maridos no cárcere. Seus corpos foram encontrados no fundo de um precipício estranguladas e com ossos quebrados.

A notícia do assassinato escandalizou e comoveu a Nação. Suas idéias, porém, não morreram. Seis meses mais tarde, em 30 de maio de 1961, Trujillo é assassinado e com ele cai a ditadura. Inicia-se, então, o processo de libertação do povo dominicano e de respeito aos direitos humanos, como quiseram Pátria, Minerva e Maria Tereza, cuja memória converteu-se em símbolo de dignidade, transcendendo os limites da República Dominicana para a América Latina e o mundo.

Violência contra a mulher

O CRESS-MG produziu um conteúdo especial para marcar a importância do Dia Nacional de Luta Contra a Violência à Mulher, em 10 de outubro. 

Relembre, aqui, os vídeos e textos divulgados!

Fonte: Feminino no plural.

Conheça mais sobre o CRESS-MG

Informações adicionais
Informações adicionais
Informações adicionais

SEDE: (31) 3226-2083 | cress@cress-mg.org.br

Rua Guajajaras, 410 - 11º andar. Centro. Belo Horizonte - MG. CEP 30180-912

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL JUIZ DE FORA: (32) 3217-9186 | seccionaljuizdefora@cress-mg.org.br

Av. Barão do Rio Branco, 2595 - sala 1103/1104. Juiz de Fora - MG. CEP 36010-907

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL MONTES CLAROS: (38) 3221-9358 | seccionalmontesclaros@cress-mg.org.br

Av. Coronel Prates, 376 - sala 301. Centro. Montes Claros - MG. CEP 39400-104

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL UBERLÂNDIA: (34) 3236-3024 | seccionaluberlandia@cress-mg.org.br

Av. Afonso Pena, 547 - sala 101. Uberlândia - MG. CEP 38400-128

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h