2º Seminário Internacional da Faculdade de Serviço Social da UFJF

Publicado em 06/10/2011

O 2º Seminário Internacional da Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) começou dia 4 de outubro e termina nesta quinta-feira, 6. O encontro tem a participação de diversos atores dos movimentos sociais da América Latina e o tema desta edição é “Lutas Sociais e Serviço Social: projetos societários e projeto profissional”.

Diretoras da Seccional Juiz de Fora estiveram presentes no local e nos contaram como foi a conferência de abertura, que teve como tema “Panorama das lutas no cenário mundial contemporâneo e seus impactos na ordem do capital”.  Os convidados da cerimônia foram o professor Luiz Suárez Salazar – Universidade de Havana (Cuba) e Vito Gianotti – escritor e coordenador do Núcleo Pirapetinga de Comunicação.

Salazar comentou que a crise econômica vivenciada na contemporaneidade se trata de uma crise estrutural do capital, uma crise larga e profunda que atinge todas as esferas da vida social. Segundo o professor, esse processo demonstra que o capitalismo não se constitui como solução para a humanidade, mas como principal motivo dos problemas que ocorrem no planeta. No entanto, essa situação abre campo para o fortalecimento das lutas sociais e, cada vez mais, o socialismo tem penetrado o imaginário e o repertorio popular. Nesse sentido, Salazar enfatizou os processos de mobilização vivenciados em todo o mundo, como a luta dos estudantes chilenos, as revoltas árabes e os movimentos na Europa – em países como Inglaterra, Espanha e França. Ele afirma que esses movimentos são respostas ao retrocesso do exercício da cidadania no campo da contra-reforma e contra-revolução neoliberal e neoconservadora e, ainda, representam um recrudescimento da hegemonia dos países imperialistas – especialmente dos EUA, na medida em que o American life way e American dream mostram sua fragilidade.

Contudo, ambos, Gianotti e Salazar, concordaram que essas lutas sociais ainda não são suficientemente fortes para se oporem ao capitalismo e ainda apontaram que há necessidade de revisão das estratégias de suas construções, necessidade de unificação e do combate ao sectarismo na forças de esquerda.

O italiano Gianotti, que foi metalúrgico, escritor e militante anticapitalista, destacou, também, que a hegemonia no campo ideológico-político do neoliberalismo começa a ser ameaçada a partir dos anos 2000, quando a ideologia passou a mostrar a sua “cara feia”. Ou seja, expressão da miséria, do desemprego, da flexibilização dos direitos, do esgotamento ambiental, queda dos salários, dentre outras mazelas. Entretanto, Gianotti comentou que o fim do sistema capitalista não é automático, mas deve ser construído pelas forças populares de esquerda. Nesse contexto, ele ressaltou o papel da comunicação, dizendo que a mídia é, atualmente, o partido do capitalismo. Por isso, torna-se fundamental configurar estratégias de comunicação que conformem um consenso em torno das lutas sociais. Gianotti afirmou que a luta deve estar atrelada a uma nova análise da sociedade, nos moldes do processo reflexivo empreendido por Marx – ou seja, objetivando refletir a destruição desse sistema e pensar novas formas para substituí-lo. Ele destacou, ainda, a necessidade de retomada da teoria socialista, da reconstrução da organização partidária de esquerda numa relação de pluralidade e unidade, investimento nos movimentos sociais, culturais e ideológicos.

Ao traçar panoramas das lutas, a nível mundial, ambos os conferencistas enfatizaram o avanço de tendências anticapitalistas expressas nas diversas mobilizações vivenciadas no mundo. Mas destacaram, também, que tais lutas ainda não são suficientemente fortes para por em xeque a ordem do capital, sendo necessário que a esquerda se reinvente e construa em unidade.

Além dos palestrantes, a mesa de abertura contou com a presença de membros da Seccional Juiz de Fora, do Sindicato dos Professores (Sinpro), da ABEPSS, da representação estudantil e de outros componentes da própria faculdade de Serviço Social, como diretor e professor Rodrigo Filho.

O 2º Seminário Internacional da Faculdade de Serviço Social da UFJF segue até amanhã, dia 6. Para outras informações, acesse: www.ufjf.br/ppgservicosocial/seminario2011/

Conheça mais sobre o CRESS-MG

Informações adicionais
Informações adicionais
Informações adicionais

SEDE: (31) 3226-2083 | cress@cress-mg.org.br

Rua Tupis, 485 - sala 502. Centro. Belo Horizonte - MG. CEP 30190-060

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL JUIZ DE FORA: (32) 3217-9186 | seccionaljuizdefora@cress-mg.org.br

Av. Barão do Rio Branco, 2595 - sala 1103/1104. Juiz de Fora - MG. CEP 36010-907

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL MONTES CLAROS: (38) 3221-9358 | seccionalmontesclaros@cress-mg.org.br

Av. Coronel Prates, 376 - sala 301. Centro. Montes Claros - MG. CEP 39400-104

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h


SECCIONAL UBERLÂNDIA: (34) 3236-3024 | seccionaluberlandia@cress-mg.org.br

Av. Afonso Pena, 547 - sala 101. Uberlândia - MG. CEP 38400-128

Funcionamento: segunda a sexta, das 13h às 19h