Romance de escritora mineira conta a história de um casal homoafetivo (02/12/2014)

 “[...] um livro contra o preconceito e a favor da liberdade de sermos quem verdadeiramente somos” (LIBÂNIO, 2014).

Em tempos de acirrado debate acerca da Diversidade Sexual e dos Direitos Humanos, com ênfase em questões que dizem respeito ao reconhecimento social e jurídico da família composta por pessoas do mesmo sexo, assim como na discussão em torno do Projeto de Lei 122/2006, que visa criminalizar a homofobia no Brasil -, a Editora Ser Mais lança o livro “A história de Carmen Rodrigues”, de autoria da escritora mineira Ana Luiza Libânio.

Romance de drama social, por meio da história de Carmen – mulher, mãe, empresária e companheira de Clarissa -, o livro oferece ao leitor a possibilidade de reflexão sobre questões afetas à família, à sexualidade, à homoafetividade, à heteronormatividade, à violência doméstica, ao preconceito de gênero e racial, dentre outras historicamente presentes nas relações sociais fundadas nas desigualdades.

Elaborada com linguagem acessível a jovens adultos e adultos, a história de Carmen Rodrigues pretende alcançar leitores de ambos os sexos que se interessam pelo drama social. Trata-se de uma obra de ficção, mas poderia ser a história real de qualquer mulher e é, de fato, uma história que se assemelha a muitas histórias de outras mulheres reais.

Adquira aqui o livro.

A autora

Ana Luiza Libânio é escritora, tradutora e revisora. Mestre em literatura e especialista em estudos de gênero com formação em direitos humanos,  escreve romances, crônicas, contos, poemas e roteiros cinematográficos.

Em julho de 2014, o CRESS-MG entrevistou Ana Luiza para falar sobre o Estatuto da Família, Projeto de Lei que desconsidera casais homoafetivos como família. Leia aqui esta matéria.

Natural de Belo Horizonte (MG), Ana cresceu rodeada por histórias - que ouvia, que lia, e que inventava. Hoje a realidade é quem manda e ela tenta retratá-la em seus personagens, “criações-reais” para histórias copiadas dos vários contextos em que faz questão de transitar.

Alguns de seus mestres são Machado de Assis, ClariceLispector, Carlos Drummond de Andrade, Virgínia Woolf e tantos outros, clássicos e contemporâneos.